Comunidades Terapêuticas: um espaço para a restauração de vidas

terapeutica

As Comunidades Terapêuticas funcionam como pequenas sociedades nas quais todos os membros nela inseridos compartilham os seus dilemas e compreendem que as dificuldades pelas quais estão passando não são exclusivamente suas, mas fazem parte da vida de outras pessoas. E é exatamente nesse ambiente de convivência e de troca de experiências que dependentes químicos podem alcançar importantes transformações nas suas vidas, uma vez que nessas comunidades que acreditam e apostam na recuperação do ser humano eles terão oportunidades de aprender novos valores, comportamentos, capacidades e responsabilidades, que um dia pela força da dependência química acabaram por abandonar, e assim, poderão retomar os laços com a família e com a sociedade, além de voltarem a exercer sua cidadania de forma digna.

O atendimento voltado para a recuperação de dependentes químicos, caracterizado pelo tradicional tratamento em hospital psiquiátrico (como acontece ainda hoje), somente ganhou uma atenção especial no início da década de 50 quando o Reverendo David Wilkerson fundou nos Estados Unidos a Comunidade Teen Challenge (Desafio Jovem, ou seja a primeira Casa de Restauração de Vidas do Mundo), um ministério destinado a resgatar jovens. A iniciativa inovadora do pastor Wilkerson tinha o objetivo de restaurar a vida de jovens dependentes químicos que compunham duas das gangues mais perigosas de Nova Iorque. Reconhecido como o evangelista norte-americano, David Wilkerson conseguia a conversão de dependentes químicos e pessoas envolvidas com a criminalidade através do poder da palavra em nome do Senhor Jesus.

A maior prova do trabalho de resgate do pastor David Wilkerson é a conversão de Nick Cruz, chefe de uma temida gangue de Nova Iorque. Essa história de recuperação de Nick Cruz, que durou cinco anos, foi contada por Wilkerson no seu livro autobiográfico A Cruz e o Punhal, um best-seller traduzido para vários idiomas e que se transformou num aclamado filme. O pastor Wilkerson morreu aos 79 anos ao sofrer um acidente de carro no Texas em 27 de abril de 2011, deixando um legado precioso de amor ao próximo e a prova concreta de que a Restauração de Vidas é difícil, porém possível se o trabalho de resgate do ser humano for feito com compromisso e entrega por parte dos profissionais envolvidos, o que irá refletir não somente na restauração de um indivíduo, mas no bem estar de toda sociedade.

O maior legado deixado por Wilkerson com certeza foi o seu modelo de recuperação de jovens dependentes químicos, que tem como pilar as comunidades terapêuticas. Essa influência se refletiu no Brasil em 1968, ano em que a Missionária Presbiteriana Ana Maria Brasil fundou no Estado de Goiás a primeira Comunidade Terapêutica no Brasil, chamada de Movimento Jovens Livres. No Brasil, essas comunidades surgiram por dois principais motivos: o pedido de socorro de pessoas dependentes ou de seus familiares às igrejas e demais instituições religiosas envolvidas com os problemas de ordem social da comunidade, ao contrário do Governo Federal, que nunca fez esse enfrentamento adequadamente; e a falta de preparo por parte do Poder Público que sempre tratou o problema com tratamentos em hospital psiquiátrico junto a pessoas com transtornos mentais.

A disseminação do modelo de tratamento através de comunidades terapêuticas aconteceu com a vinda de David Wilkerson ao Brasil em 1972, o que influenciou sobremaneira na abertura de centenas de Comunidades Terapêuticas em todo o território nacional (Chaves, 2007).

A expansão das comunidades terapêuticas também alcançou o movimento católico de assistência ao dependente de substâncias psicoativas, que no Brasil teve seu início com os trabalhos desenvolvidos pelo Padre Aroldo J. Rham, a partir de 1978, com a abertura da Fazenda Senhor Jesus destinada a atender essa categoria de pessoas.

A título de sugestão, para quem deseja entender melhor o trabalho de Restauração de Vidas e acompanhar a trajetória da primeira Comunidade Terapêutica do mundo que ainda hoje tem sua sede ativa e espalhou essa bênção por mais 70 países, seguem alguns links para facilitar a busca. E se você deseja conhecer mais sobre a história da primeira Comunidade Terapêutica do Brasil poderá encontrar relatos no livro de Chaves, 2007.

 

Conceição Cinti – Advogada e educadora. Precursora da Educação Restaurativa, com experiência de mais de três décadas em Tratamento de Dependentes de Substâncias Psicoativas e Delinqüência Juvenil. Palestrante e colunistas de alguns sites renomados.

Autora do www.educacaorestaurativa.org

Dê a sua opinião!

%d blogueiros gostam disto: