«

»

5 Sinais de Uma Depressão Que Você Não Deve Ignorar


Por K. Aleisha Fetters

Seu chefe o consome. Um carro passa sobre uma poça d’água e espirra água suja em cima de você. Você está num dia ruim, mas é apenas um dia. A depressão, que afeta um em cada 10 norte-americanos, não vai embora de um dia para outro. Seus sintomas geralmente persistem por duas semanas ou mais e, normalmente, não desaparecem sem tratamento. Infelizmente, a maioria das pessoas não se dão conta de que os sintomas da depressão não se resumem ao “sentimento de tristeza”. Além do mais, cada pessoa experimenta a depressão de forma diferente, e alguns podem apresentar mais sintomas do que os outros. Isso significa que em muitos casos a depressão passa despercebida, fazendo com que estas pessoas sofram em silêncio. Aprenda a reconhecer os sintomas mais comuns da depressão – em si mesmo, amigos ou membros da família – e como obter ajuda.

1. Auto-Crítica “Todos nós temos um crítico interno. Para as pessoas que estão deprimidas, essa voz interior crítica pode ter uma influência poderosa e destrutiva sobre o seu estado de espírito. Ela pode se alimentar por semanas de apenas um comentário distorcido”, diz Jaime W. Vinick, chefe da clínica psiquiátrica Sierra Tucson. Além do mais, a auto-crítica também pode prever a depressão. Em um estudo com 107 adultos, aqueles que eram mais auto-críticos, também foram mais propensos a desenvolver uma depressão quatro anos depois. Preste atenção em como muitas vezes você, ou alguém, usa a palavra “deveria”, diz Moe Gelbart, psicólogo do centro médico Torrance Memorial, na Califórnia. Referencias frequentes ao seu comportamento dizendo que “deveria” ter feito outra coisa é um sinal comum de auto-julgamento.
2. Perda de interesse Perder o interesse em reuniões de três horas e prazos de trabalho é uma coisa, mas uma pessoa com depressão pode perder o interesse por coisas que normalmente desfrutava, como filmes, esportes e tempo com amigos, diz o psicólogo Moe Gelbart. “A perda de interesse em atividades prazerosas é um componente comum da depressão, e é conhecida como anedonia”. Esta perda de interesse pode ser devida a mudanças nos níveis cerebrais de hormônios e neurotransmissores, de acordo com o psiquiatra Robert London. Infelizmente, a perda de interesse pode exacerbar sentimentos de isolamento, aumentando a depressão, diz Gelbart. É um ciclo vicioso auto-destrutivo que pode ser difícil para a pessoa que sofre de depressão quebrar.

3. Alteração Significativa de Peso Quando deprimidas, muitas pessoas perdem o interesse em comer porque já não desfrutam mais da comida. Por outro lado, elas podem comer mais numa tentativa consciente, ou inconsciente, de melhorar o seu estado de espírito. Na verdade, de acordo com um estudo de 2003, do American Journal of Clinical Nutrition, comer alimentos ricos em hidratos de carbono pode promover a síntese da serotonina e causar um leve bem-estar passageiro. Além do mais, a inatividade induzida pela depressão também pode contribuir para o ganho de peso. Se alguém experimentar uma mudança no peso corporal de mais de cinco por cento em um mês, a atenção é necessária, diz Robert London.

 4. Dores e Medos Inexplicáveis Muitas vezes, quando indivíduos deprimidos procuram atendimento médico, a queixa não é a depressão em si. São dores, tais como problemas de estômago, dores nas articulações ou nas costas, diz Jaime W. Vinick. A depressão pode afetar a forma como a dor é percebida no cérebro. “Os sinais de dor corporal, que normalmente são embotados ou desviados, na depressão são ampliados”, diz o psicólogo Nick Forand. “As pessoas com depressão também tendem a desenvolver uma atenção negativa auto-centrada, de modo que elas podem ser mais propensas a perceber sensações de dor e se concentrar nelas, o que pode piorar a percepção da dor”, conclui.

5. Raiva e Irritabilidade Pessoas deprimidas muitas vezes se sentem agitadas, inquietas ou até mesmo violentas, explica o psiquiatra Robert London. Mas a raiva não é apenas um sintoma de depressão, é também um possível contribuinte para a depressão. De acordo com o psiquiatra, quando a raiva é contida e deixada sem solução, pode levar a pessoa a ter comportamentos auto-destrutivos e contribuir com os sentimentos da depressão. London recomenda que qualquer um que experimente sentimentos de agressão e hostilidade discuta os seus conflitos e trabalhe para resolver a situação. Conversar com um psicoterapeuta será muito útil para encontrar formas construtivas de lidar com sentimentos de raiva ou ressentimento mal-resolvidos.

Fonte: Livestrong traduzido e adaptado por Psiconlinews

Dê a sua opinião!

%d blogueiros gostam disto: